Ata da Assembléia dos Estudantes da Faculdade de Saúde Pública

A Assembléia dos Estudantes da Faculdade de Saúde Pública ocorreu no dia 17 de novembro de 2011 e debateu as pautas:

  1. Leitura das notas do Centro Acadêmico Emílio Ribas;
  2. Discussão e votação sobre a Greve Geral dos Estudantes da USP;
  3. Eleição de delegados para a Comissão de Greve;
  4. Adiamento da eleição do DCE.

Informes:

  • Assembléia Geral dos Estudantes da USP – 18h no vão da FAU

Pautas:

  1. Leitura das notas do Centro Acadêmico Emílio Ribas

Todas as 3 notas foram lidas a fim de esclarecer o posicionamento da gestão “Canto Novo” e os últimos acontecimentos e deliberações em assembléias. Dúvidas e questionamentos foram abertos no ponto 2.

  1. Discussão e votação sobre a Greve Geral dos Estudantes da USP

Deu-se o informe sobre as assembléias do dia 8 e 10 de novembro (ata completa do dia 10/11 – http://www.dceusp.org.br/2011/11/ata-da-assembleia-geral-dos-estudantes-realizada-em-17112011/) que deliberaram greve imediata e continuidade da greve, esclarecendo que a greve é uma ferramenta de mobilização que, assim como as ocupações, permitiram conquistas de muitos direitos estudantis que usamos no nosso cotidiano: restaurante universitário, inclusive aos finais de semana; circulares, moradia e bolsas estudantis, etc, os quais, embora hoje tenhamos a consciência de que são direitos, nada nos foi dado, mas conquistado com essas ferramentas.

A greve tem como primeira intenção possibilitar que os estudantes possam dedicar tempo para a mobilização, em atos, debates, aulas públicas e outras manifestações, além da negociação para as conquistas dos eixos e propostas.

O debate passou pela discussão dos eixos da greve e sobre segurança não somente na USP, mas na sociedade.

Os estudantes de Nutrição decidem por não entrar em greve, mas aprovam as propostas:

  • Paralisação no dia 24/11 e criação de um comitê de paralisação, garantindo um conjunto de atividades sobre segurança e democracia;
  • Moção de apoio aos estudantes em greve (anexo);
  • Discussão e elaboração de plano de segurança como pauta do XI Congresso dos Estudantes da USP.
  1. Eleição de delegados para a Comissão de Greve;

Conforme deliberado na Assembléia Geral dos Estudantes do dia 8 de novembro, a eleição de delegados para a Comissão de Greve deveria se realizar nas assembléias de curso com a proporção de 1 delegado a cada 20 estudantes presentes em assembléia.

Abriu-se a composição da chapa para todos os estudantes. Os candidatos na chapa foram: Fabiana Nascimento Alves (4ºN), Roberto Rubem Brandão (3ºN), Sofia Sayuri Yoneta (5ºD).

Totalizando o público das duas assembléias, 41 estudantes, elegeram-se 2 delegados da FSP para a Comissão de Greve: Roberto Rubem Brandão e Sofia Sayuri Yoneta.

A comissão de greve fica responsável por organizar e viabilizar o calendário de mobilização, como atos, debates.

  1. Adiamento da eleição do DCE

Com unanimidade na votação, aprovou-se o adiamento da eleição do DCE.

ENCAMINHAMENTOS

Comissão de Paralisação – participarão Laira “Koala” Yume, Denise “Tender” Miguel, Julia “Tupinha” de Caro (1º), Renata Gosciola, Juliana Levra, Cássia “Cass” Navas, Flávia “Garu” Bueno (2º), Raquel “Créu” Santiago, Sara “Saret” Rios (3º), Aline “Loka” Sardinha (4ºN) e membros da gestão “Canto Novo”, ficando aberta para incorporação de novos membros.

_____________________________________________________________________________________________

Reunião da Comissão de Paralisação – 21/11 às 15h

Pautas:

  • Programação da paralisação;
  • Divulgação – Comunicação – Mobilização.
_____________________________________________________________________________________________

Moção de apoio à greve geral dos estudantes da USP

 Os estudantes da Faculdade de Saúde Pública registram em assembléia apoio aos estudantes em greve na USP (Faculdade de Educação (Pedagogia e Licenciatura), Instituto de Biologia (Biologia), Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (Design e Urbanismo), Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (Geografia, História, Filosofia, Letras), Escola de Comunicação e Artes (Jornalismo, Artes Cênicas, Editoração, Biblioteconomia, Artes Visuais, Artes Plásticas, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Turismo)) e os eixos de mobilização:

  1. Retirada de todos os processos movidos contra estudantes por motivos políticos!
  2. Fora PM! Pelo fim do convênio da USP com a Secretaria de Segurança Pública.
  3. Liberdade aos presos e nenhuma punição administrativa ou criminal!
  4. Fora Rodas!
  5. Outro projeto de segurança na USP! Que a reitoria se responsabilize por:
    1. Plano de iluminação no campus;
    2. Política preventiva de segurança;
    3. Abertura do campus à população para que tenhamos maior circulação de pessoas;
    4. Abertura de concurso público para outra guarda universitária, que tenha treinamento para prevenção dos problemas de segurança e com efetivo feminino para a segurança da mulher;
    5. Mais circulares;
    6. Circular até o Metrô Butantã.

Solidarizando com a mobilização dos estudantes para a revogação do convênio com a PM e então reivindicação de amplo debate na universidade para construção democrática de um projeto de segurança (proposta do eixo 5), retirada dos processos políticos e saída do reitor João Grandino Rodas, a figura que mais reflete a falta de democracia e diálogo na universidade.

“A bem compreender, a greve não é um modo de solução de conflitos e sim uma forma pacífica de expressão do  próprio conflito. Trata-se de um instrumento de pressão, legitimamente utilizado pelos empregados para a defesa de  seus interesses.”

Jorge Luiz Souto Maior