O 8 de março, Dia Internacional da Mulher, não é uma data para se receber flores e parabéns

Na semana de recepção aos calour@s de 2013, tivemos muitos exemplos de machismo e opressão às mulheres dentro da universidade, como nos casos de São Carlos (http://www.dceusp.org.br/2013/03/nota-de-repudio-ao-miss-bixete-somos-mulheres-nao-objetos/) e do IntegraPoli (http://www.dceusp.org.br/2013/03/nota-de-repudio-do-dce-livre-da-usp-ao-integrapoli/).

Esse é um dia muito importante na luta das mulheres por direitos e ainda precisamos fazer muito para termos uma universidade e uma sociedade realmente igualitária.

Por isso nós, do CAER, convidamos a todas e todos para participar deste ato conosco! Depois da oficina de crafts, iremos junt@s para o ato, às 13h, na Praça da Sé!

 

164484_498574760203917_545640054_n

Anúncios

Reforma curricular do curso de Nutrição da USP visa um ensino mais integrado

A nova estrutura curricular do curso de Nutrição da USP entrou em vigor no ano passado. As principais mudanças incluem a introdução de Eixos Temáticos estruturantes curriculares; a inclusão de Atividades Integradoras ao longo dos cinco anos, e a aproximação às práticas em cenários de atuação profissional do nutricionista. “A opção foi por uma estrutura disciplinar flexível, considerando a especificidade e a experiência da USP com a área da saúde, num movimento de superação da fragmentação dos conhecimentos e da dicotomia entre teoria e prática em direção à integração de diferentes áreas disciplinares e profissionais”, afirma Ana Maria Cervato Mancuso, professora do Curso e integrante do grupo que propôs as reformas.

O processo de reestruturação do currículo do curso, durou cerca de 3 anos, desde quando foi criado um Grupo de Apoio Pedagógico da Faculdade de Saúde Pública (GAP) para coordenar este processo de construção coletiva. Durante o processo, foram ouvidos todos os segmentos envolvidos com o curso, como professores e alunos, além de egressos e profissionais com experiência em diversas áreas de atuação.

Conforme afirmam os ex-alunos de graduação, Fabiana Nascimento e Rubem Silva, que participaram do processo de reformulação, “A reestruturação do currículo do curso de nutrição, encabeçado pelo Grupo de Apoio Pedagógico (GAP), ocorreu de forma coletiva”.

O GAP é um grupo que se debruçou para desenvolver o currículo do curso de nutrição, mas também vem tendo um esforço de repensar a política e a didática de ensino na graduação, fatores essenciais para a concretização desse currículo que foi pensado e discutido por anos com a comunidade da Fsp.

Neste processo houve a participação direta de um estudante de graduação, integrante do Centro Acadêmico Emílio Ribas, que acompanhou as discussões realizadas nas reuniões periódicas do GAP, e contribuiu para a construção das oficinas e outras atividades propostas. Os demais estudantes de nutrição foram convidados para participar das oficinas e assembleias, espaços em que poderiam sugerir melhorias para o currículo e avaliar as mudanças propostas por professores e outros setores que também contribuíram para o processo.

A maioria dos apontamentos realizados pelos estudantes nos espaços de construção da nova estrutura curricular foi atendida, principalmente no que se refere à integração entre as disciplinas e ao contato com prática profissional ao longo do processo de formação. “Agora, esperamos que a implementação do projeto seja realizada adequadamente, com a estrutura necessária e professores preparados com um novo olhar para trabalhar as demandas que essa formação vai trazer”, afirmam os estudantes de nutrição.

A nova estrutura está sendo implantada gradativamente e nesse ano de 2014, será implantado o segundo ano do curso. O curso pretende formar um profissional generalista com habilidades e competências para, como profissional da saúde, desenvolver atividades visando à segurança alimentar e a atenção dietética de indivíduos ou grupos populacionais em diferentes cenários de atuação profissional.

A professora Regina Mara Fisberg, ex-presidente da Comissão de Graduação da FSP, esteve presente em todo esse processo de reformulação. Ela diz que, “A elaboração da nova estrutura exigiu uma reflexão acerca da concepção e das finalidades da educação e sua relação com a sociedade, bem como uma reflexão aprofundada sobre o tipo de indivíduo que queremos formar e de mundo que queremos construir com nossa contribuição”.

Uma das preocupações é aproximar a FSP de outras faculdades da área de saúde, em um ensino multiprofissional e acompanhar as diretrizes curriculares propostas pelo MEC.

Mais informações com a professora Profa. Dra. Ana Cervato, pelo e-mail: cervato@usp.br

O CAER enquanto representante estudantil acompanhou e está acompanhando as atividades da nova grade curricular para que possamos construir a formação que queremos.

 

construcao