EACH NA FSP: O QUE ISSO TEM VER COM VOCÊ?

asseachfsp

ATUALIZAÇÃO: 21/03/2014 – 23h47

O Centro Acadêmico Emílio Ribas participou da Assembleia dos Estudantes da EACH realizada nesta sexta-feira na Faculdade de Saúde Pública, sendo prevista das 18 às 22 horas.

A sala Paula Souza ficou pequena para as mais de 300 pessoas que compareceram à assembleia de hoje, dentre elas estudantes de Ciências da Atividade, Gestão de Políticas Públicas, Marketing, Obstetrícia, Têxtil e Moda, etc e membros da Comissão da Graduação da EACH. Nela foram discutidas as questões das voltas às aulas da EACH, possível realocação, o “Plano B” emitido na quinta-feira às 16h nas grandes mídias, rumo do campus EACH, propostas dos estudantes, votações etc

Não possuímos pareceres oficiais dos Centro Acadêmicos ou outras instituições/entidades, porém durante a Assembleia alguns critérios para uma possível realocação das aulas dos cursos das EACH foram reafirmados e votados:
– manutenção das aulas na zona leste;
não separação dos cursos entre si;
– local com condições salubres;
– etc.

Ressaltamos que estas questões vão muito além da retomada das aulas, durante a Assembleia muitos relembraram que o campus nunca foi de grande aprovação pelos reitor e diretores, anteriores e atuais.
Seria coincidência que alguns de seus cursos tenham sofrido ultimamente ameaça de deixarem de existirem, como a Obstetrícia?
A marginalização dos cursos, do campus e da região sempre foram gritantes, porém, felizmente, a maioria dos estudantes estão unidos a favor dos interesses coletivos, lutando pela volta às aulas, sim, mas no campus que tantos idealizaram, todos os cursos unidos para manterem sua força e terem seus primeiros anos comuns possíveis. E em uma região que diariamente sofre exclusão e discriminação, levando, assim, a educação superior e de qualidade a regiões mais afastadas.

Alguns estudantes propuseram as aulas na Cidade Universitária, em Pinheiros e outras em regiões, outros eram favoráveis ao cancelamento do semestre. A maioria decidiu, em votação, a manter os critérios da Assembleia anterior e retomá-los, sobretudo para manterem-se unidos e, assim, mais fortes para lutarem pela EACH na USP Leste perante a essa ameaça iminente de separação, fechamento de futuras vagas para seus cursos e “morte” do campus. Segue a fala de um estudante: “De que adianta um diploma de uma faculdade que não existe mais?”.

Resumindo…
Portanto, as aulas dos nossos colegas não começarão segunda-feira(24/03/2014), tampouco serão no campus Pinheiros (incluindo FSP). Há previsão de um ato terça-feira.

Apoiamos a EACH e estamos nesta luta, somos todos USP!

ATUALIZAÇÃO: 23/03/2014 – 01h09

Divulgamos a ata redigida pelo estudante de obstetrícia Vinícius Becker de Souza:
Ata assembleia estudantes EACH 22mar2014

Texto e foto por Nicole Reis.

____________________________________________

capture-20140321-111917

Olá pessoal, como todos sabem, o campus da USP Leste está interditado por fatores ambientais e, por causa disto, a faculdade foi fechada e o começo das aulas adiado até segunda ordem. Primeiro, a reitoria disse que as aulas voltariam no dia 10 de março, mas nada aconteceu, e agora nos foi dito que as aulas voltam no dia 24 de março (segunda-feira)…e daí que entra você nessa história.

Como o campus da USP Leste ainda está interditado, a reitora resolveu dividir os cursos por diversas faculdades, da USP ou não, e a FSP entra nessa história, junto com a FM, EE e POLI.
Nós do CAER, desde o começo, nos posicionamos a favor da luta dos estudantes da EACH, mas também precisamos saber da sua opinião e de suas ideias. Por isso, nós gostaríamos de ouvir de você, estudante da FSP:

O QUE VOCÊ ACHA DA VINDA DOS ESTUDANTES DA EACH PARA A FSP?

Fizemos um questionário online para ser respondido anonimamente. Não deixe de participar e contribuir para a melhoria de nossa faculdade e para o melhor acolhimento dos estudantes da EACH.

10150621_547460775352068_653862133_n

Também, convidamos a todos a virem hoje, às 18h, na Assembleia dos Estudantes da EACH, para ficar por cima do que está acontecendo em nossa universidade.

Fontes:
http://www.usp.br/imprensa/?p=37856
http://each.uspnet.usp.br/site/conteudo-imprensa-noticia.php?noticia=1752
http://www.estadao.com.br/noticias/vida,aulas-da-usp-leste-vao-para-campus-saude-e-instituicao-particular,1143091,0.htm

A reitoria da USP não pode impedir a realização do show da Calourada 2013!

Há décadas, o movimento estudantil da USP organiza, de maneira autônoma, a recepção dos calouros à universidade. A chamada Calourada Unificada é construída pelo DCE, em conjunto com os Centros Acadêmicos, e reúne milhares de estudantes de toda a USP para um dia de debates, confraternização e festa.

E assim será também em 2013. Em janeiro, duas reuniões para a organização da calourada foram realizadas, reunindo quase 20 Centros Acadêmicos, de diversas unidades (FFLCH, FEA, Química, FSP, Direito e muitas outras), deliberando por uma programação especial para a recepção dos calouros. Nas várias mesas de debate, já estão confirmados nomes de relevância na comunidade USP — como o jurista Jorge Luiz Souto Maior e os filósofos Vladimir Safatle e Paulo Arantes —, assim como figuras de destaque para fora da universidade, como o Deputado Estadual Carlos Giannazi e o cartunista Carlos Latuff.

A calourada se encerra com a realização de um show, que reúne estudantes de toda USP para confraternizar o ingresso à universidade e terá a presença da artista Tulipa Ruiz. Esse ano o show terá uma importância ainda maior: em 2013, são completos 40 anos da morte de Alexandre Vannucchi Leme, estudante morto pela ditadura militar, que dá nome ao DCE-Livre e que necessita ter sempre a memória viva entre nós. Ao mesmo tempo, no dia 27/02 (o dia da calourada), será completo 1 mês da tragédia de Santa Maria, que tirou a vida de centenas de estudantes e que sensibilizou todo o país. Queremos que a calourada unificada deste ano, com seus debates, seu show, sua política e confraternização, seja também uma profunda manifestação de homenagem a todos os estudantes, tanto a Vannucchi Leme, que perdeu sua vida há tantos anos, quanto às vítimas da catástrofe acontecida no Rio Grande do Sul e a seus familiares.

Há três semanas, o DCE tem apresentado um projeto para a realização do evento e não obtém respostas positivas. No projeto, ressaltamos duas preocupações centrais: primeiramente, a realização de um evento que receba bem os calouros, com a devida infraestrutura e boas atrações musicais; e, ao mesmo tempo, a garantia da segurança de todos e o respeito às normas para a realização de um evento desse porte, seguindo todas as recomendações que a universidade utiliza e prevendo, para isso, o controle do número de pessoas no local do evento, o horário de realização, a contratação de equipes de limpeza, segurança, ambulâncias etc..

Há mais de uma semana, já conseguimos a reserva do local para a realização do show — o Velódromo, no Centro de Práticas Esportivas da USP. Para nossa surpresa, no entanto, mesmo tendo atendido, como dito, todas as normas para a realização desse tipo de evento dentro da universidade, a autorização para sua realização, bem como o auxílio para a contratação dos serviços necessários para garantia de sua segurança, ainda não foram concedidos pela reitoria da universidade.

Tal postura é lamentável ainda mais com a proximidade da tragédia em Santa Maria, em que a festa, que reunia muitos estudantes, ocorreu em um ambiente externo à Universidade Federal, e deixou clara a necessidade de que as universidades do Brasil possam receber, dentro de seus próprios espaços e garantindo a devida segurança, os eventos estudantis. Essa é a disposição do DCE-Livre e dos Centros Acadêmicos da USP que estão construindo a Calourada Unificada 2013, e esperamos que seja a disposição da reitoria da universidade.

O DCE seguirá pressionando a universidade para a realização do show da calourada de 2013. Ao mesmo tempo, deixamos claro: não será o sim ou o não da reitoria o que determinará a realização da calourada. O movimento estudantil da USP está comprometido com a realização deste evento de recepção aos calouros, que acontecerá no dia 27/02, quarta-feira. As mesas de debate e os convidados já estão confirmados. O local do show, no nosso entendimento, também já está definido: o Velódromo do CEPE-USP. Não vamos admitir que a reitoria vete essa iniciativa, em mais uma demonstração da falta de democracia na universidade, deixando os estudantes sem o apoio institucional que se espera da universidade para um evento dessa importância.

 

843943_436637616414180_1625744942_o

 

Evento no face:Show da calourada 2013

 

 

 

 

 

 

Fonte: DCE-livre da USP

Governo mantém publicidade infantil de junk food

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, vetou ontem o projeto de

tumblr_inline_mhfwr4PrDi1qz4rgp

lei que restringia a publicidade de alimentos não saudáveis dirigida a crianças.

O projeto, apresentado pelo deputado estadual Rui Falcão (PT) em 2008, foi aprovado pela Assembleia Legislativa em dezembro. Ontem era o último dia para que Alckmin tomasse a decisão de vetar ou sancionar a lei.

O texto proibiria a veiculação de anúncios de alimentos e bebidas pobres em nutrientes e com alto teor de açúcar, gorduras saturadas ou sódio entre as 6h e as 21h no rádio e na televisão. O projeto não especificava quais alimentos se enquadrariam nessa classificação.

O projeto também impediria o uso de celebridades ou personagens infantis na venda de alimentos e o uso de brindes promocionais, como os vendidos junto com sanduíches em redes de fast food.

CONSTITUIÇÃO

Ontem, conforme a Folha informou, as assessorias jurídica e parlamentar do governador haviam recomendado o veto ao projeto, afirmando que o texto é inconstitucional porque cabe à União legislar sobre publicidade.

Luiz Tarcísio Teixeira Ferreira, professor de direito constitucional da PUC de São Paulo, concorda com a decisão e lembra que já havia sido decidido que só a União podia legislar sobre publicidade de cigarros, um tema também relativo à saúde.

“Não é porque a matéria é boa do ponto de vista do mérito que qualquer um pode legislar a respeito. O valor do projeto não pode ser maior que o da Constituição. Não é um vale tudo”, diz.

Segundo ele, se um projeto inconstitucional é aprovado pelo governador, o resultado esperado é uma enxurrada de processos contestando a aprovação e “atulhando o Judiciário”.

Às críticas, o assessor jurídico de Rui Falcão, Antonio Carlos Serrano, respondeu no blog do deputado, no ano passado, que a discussão sobre a constitucionalidade da medida é “um equívoco” e que o Estado “pode legislar sobre infância e juventude”.

Um texto semelhante ao que foi vetado, de autoria do deputado Alex Manente (PPS), também foi aprovado em dezembro na Assembleia Legislativa, mas seu conteúdo, que trata da proibição da venda de alimentos com brindes, é englobado pelo texto de Rui Falcão. O projeto de Manente ainda não foi apreciado pelo governador.

Essa não é a primeira tentativa frustrada de aprovar uma lei com limites para a publicidade infantil no país. O projeto de lei vetado agora recebeu o apoio de entidades da sociedade civil, como o Instituto Alana (que defende os direitos da criança) e o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor).

“São Paulo perdeu a oportunidade de estar na vanguarda e abordar esse tema de grande importância para a saúde das crianças”, disse Pedro Hartung, assessor do núcleo de defesa do Alana.

O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (órgão consultivo que assessora a Presidência da República) e a Opas (Organização Pan-Americana da Saúde, ligada a Organização Mundial da Saúde) enviaram cartas ao governador pedindo a sanção do projeto.

No texto, a Opas cita pesquisas que demonstraram que a publicidade incentiva as crianças a pedirem as marcas anunciadas e que os pais reconhecem a influência da televisão em suas compras.

Mais em: http://defesa.alana.org.br/post/41862372877/alckmin-ignora-desejo-de-73-dos-pais-de-sao-paulo

Leia o parecer completo em: http://www.imprensaoficial.com.br/PortalIO/DO/BuscaDO2001Documento_11_4.aspx?link=/2013/executivo%2520secao%2520i/janeiro/30/pag_0001_F441AEGM4R9UNeB15E8S1UK5UU0.pdf&pagina=1&data=30/01/2013&caderno=Executivo%20I&paginaordenacao=100001

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/1222604-governo-mantem-publicidade-infantil-de-junk-food.shtml

Temos menos de 15 dias para convencer o Gov. Alckmin a sancionar as leis contra a obesidade infantil!

obes2

 

Nós nunca estivemos tão perto de uma vitória tão grande contra a obesidade infantil.

No dia 18.12.2012, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou dois Projetos de Lei  que tratam da proteção da criança e de seu direito à saúde e à alimentação saudável. Um deles proíbe a venda de alimentos com brinde ou brinquedos; o outro proíbe a publicidade de alimentos não saudáveis em rádios e TVs das 6h às 21h, e também em qualquer horário dentro de escolas públicas e privadas.

Até o final de janeiro o Governador Alckmin poderá, ou não, aprová-los.

Caso sejam sancionados, esses projetos de lei serão um marco na luta contra a epidemia de obesidade infantil que assola o país – 30% das crianças brasileiras apresentam sobrepeso e 15% delas já são obesas.

De acordo com pesquisas realizadas pelo Datafolha, quase 80% dos pais acreditam que a publicidade de alimentos não saudáveis prejudica os hábitos alimentares de seus filhos, e 76% são favoráveis a algum tipo de restrição à publicidade direcionada para crianças. Pais e mães dependem destas leis para, juntos com o estado, tratarem deste mal que assola tantas crianças brasileiras.

Essa é uma oportunidade única para que o Governador Alckmin faça sua parte: ouvindo o desejo da sociedade, protegendo nossas crianças e reduzindo os enormes custos com a saúde pública gerados pela epidemia da obesidade.

Bastam duas assinaturas do governador Geraldo Alckmin para mudarmos a história. Você vem com a gente?

http://www.change.org/pt-BR/peti%C3%A7%C3%B5es/gov-geraldoalckmin-aprove-as-leis-que-combatem-a-obesidade-infantil-sancionaalckmin

 

tumblr_inline_mgo84iW8cj1rukcnl

http://defesa.alana.org.br/post/40600785346/sancionaalckmin

http://alana.org.br/